Era de tarde e eu fui na varanda de casa, que tem uma vista linda para a cidade de Faro, da Ria Formosa e um lindo pôr-do-sol. Eu gosto de ficar ali observando as pessoas, a criação de Deus e a do homem, que formam um belo contraste. Normalmente é ali que eu gosto de conversar com Deus, sozinha, deixo que os meus pensamentos sejam levados ao Céu e faço minhas orações.


Quando mudamos para este apartamento, o Jardim não existia, era apenas um monte de galhos secos, aos meus olhos: lixo, apenas lixo! Estava tão feio que eu quis arrancar tudo e até tirei alguns, mas aquilo proliferava…

Sinceramente… Minha vida é tão consumida para servir ao meu Salvador, que não me sobra tempo para jardinagem. Na minha mente só havia o pensamento da quantidade de pessoas que estão naquelas janelas à minha volta e que a maioria delas não conhecem a Deus e estão caminhando a passos largos para a perdição, que mais eu posso fazer Senhor, me inspira em como alcançá-las… Clamava eu.

Naquela tarde, eu não fui ali para ver flores… Deus usou um simples jardim e aparentemente “feio” para me mostrar coisas tão belas… Incrível como eu não enxerguei como estava o meu jardim…

Foi de repente… Debruçada na sacada, olhei para o lado e, literalmente, levei um grande susto!!! Tinha um bouquet enorme, de flores roxas e outro, alaranjadas ao meu lado!!! Como aquelas flores foram aparecer ali, como elas cresceram e eu não me dei conta??? Como isso era possível se eu não as reguei??? Claro… Todas as vezes que eu fui à varanda para limpar, o aspecto daquele jardim me incomodava… Pensei em várias formas de o recuperar, talvez replantar… Até que resolvi deixar de lado, tenho almas para ganhar e o tempo está cada vez mais curto!!!

Ao mesmo tempo, contemplar aquelas flores, brotou um turbilhão de promessas de Deus ao meu coração, uma após a outra… “Vejam como crescem as flores do campo: elas não trabalham, nem fazem roupas para si mesmas. Mas eu afirmo a vocês que nem mesmo Salomão, sendo tão rico, usava roupas tão bonitas como uma dessas flores.” (Lucas 12.27)

Naquelas flores estava a manifestação clara do poder de Deus! Eu não fiz nada por elas, mas Deus fez! Que esforço aquelas flores fizeram para permanecerem vivas??? Até eu lutei contra elas, arranquei várias vezes os seus galhos, mas suas raízes são fortes! Elas apenas se entregaram a Deus e Ele fez todo o resto!!!

e mais… “O SENHOR responde: “Será que uma mãe pode esquecer o seu bebê? Será que pode deixar de amar o seu próprio filho? Mesmo que isso acontecesse, eu nunca esqueceria vocês. Jerusalém, o seu nome está escrito nas minhas mãos; eu nunca esqueço as suas muralhas.” (Isaías 49:15-16)

Ou seja, Deus tem visto a nossa luta para salvar este povo… O povo é d’Ele, a glória é d’Ele, os filhos são d’Ele… Tenho que trabalhar, tenho que lutar, tenho que me esforçar??? Sim, claro que sim! Minha parte tem que ser feita: ANUNCIAR, mas não com preocupação, tudo tem seu tempo.

Aquelas flores confiaram no Senhor, e no devido tempo, o fruto apareceu. Deus me mostrou, mais uma vez que não é pela força do meu braço, que não adianta eu me afligir, Ele tem cuidado de nós e do povo que confiou em nossas mãos, Ele tem visto as nossas muralhas (as barreiras que enfrentamos para levar a Salvação aos cativos) e quando menos eu esperar, o Jardim d’Ele vai brotar!!! As sementes que temos lançado nos corações vão florescer e assim como um dia eu já fui e deixei de ser “galho seco”, todas estas pessoas que Deus tem colocado no nosso caminho vão florescer, vão brilhar como um Lindo Bouquet Celestial!

Segredinho… Assim como no Jardim lá de casa, já há muitas sementinhas brotando na igreja, aqui no site, e eu estou muito feliz de ter o privilégio de ver a Glória de Deus se manifestando na vida destas pessoas!

Assista o Slide abaixo e acompanhe o antes e o depois, do meu Jardim: