mendigo-galaOlha só que Pai…

Não dá para ficar indiferente ao Pai descrito por Jesus na parábola do Filho Pródigo (gastador compulsivo), e você já vai entender porque. O texto é um pouco extenso e por isso eu vou me ater nas partes que mais mexeram comigo e que não dá para ficar da mesma forma. (Leia Lucas 15:11-32 para poder entender)

Os religiosos queriam testar Jesus, insistiam em julgar as pessoas segundo a Lei, então o Mestre lhes propôs esta comparação com o intuito de ver se eles abriam a mente e paravam de acusar e apontar os dedos aos irmãos, vamos ver como correu…

Este “Pai” tinha dois filhos e era muito rico, seu filho mais jovem decidiu pedir sua parte da herança e sair pelo mundo, para desbravar, conhecer lugares, pessoas. Por alguma razão, aquele jovem se cansou da vida na fazenda. Se pai respeitou sua decisão e deu-lhe o dinheiro e o rapaz partiu…

Claro que com a imaturidade e uma pequena fortuna no bolso, rapidamente ele ficou miserável, sem amigos e sozinho. Sua situação chegou a um ponto tão deplorável que ele chegou a comer com porcos! Em seus lamentos, lembrava da casa de seu pai e desejava voltar, desejava ser como um dos empregados dele… Envergonhado, não se sentia digno sequer de voltar a ter os benefícios de “filho”, afinal, quem era ele, senão um jovem imaturo, que na época, se achava maduro ao ponto de errar perante seu pai e seu irmão??

Pois é, completamente arrependido do seu erro, ele criou coragem e voltou para a casa de seu pai. Já nos arredores da fazenda, seu pai conseguiu o avistar. (Lucas 15:20) Espera aí? Como ele conseguiu reconhecer o rapaz???

Eu fico imaginando a aparência daquele filho naquele momento… Ele devia estar destroçado, maltrapilho, sujo, barbudo, com os cabelos grandes, descalço… Mas não existe ex-Filho!! Aquele Pai estava a espera deste dia e não esqueceu o rosto do seu filho, ainda que as circunstâncias o tivessem mudado fisicamente! (Consegue imaginar a cena??) O Pai todo compadecido, não se importou com o estado do filho, o abraçou e o beijou. Não é maravilhoso? Onde está o julgamento aqui??

Completamente arrependido dos seus erros e confessando disse: “Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. O Pai aceitou o pedido de perdão porque viu que seu arrependimento era sincero e continuou a vê-lo como “filho. Imediatamente mandou seus empregados trazerem as melhores roupas, calçado, o anel de “filho” e mandou preparar uma grande festa em comemoração ao retorno dele. (21-22)

O arrependimento fez o pai considerar aquele filho como ressuscitado, ou seja, acabou ali o seu passado, vida nova, ninguém tinha mais o direito de falar mais sobre o assunto, porque aquela pessoa pecadora não existia mais! E começou a festa.

Opsss… Ninguém?? Ahhh… Fala sério… Tem sempre alguém hein! O “irmão” mais velho, claro, só podia ser ele!!!

Quando o irmão, que “supostamente”, era para estar feliz com a volta do seu “mano” soube da notícia, ficou revoltado com a festa e não quis entrar, fez “birra”, até que seu pai fosse lá fora atrás dele insistir para ele entrar. (28) Foi aí que ele vomitou todas as suas “queixinhas”, tudo que realmente guardava em seu coração. Reclamou que sempre foi “certinho”, sempre foi fiel, sempre esteve ao lado do pai, nunca fez nada de errado (era muito justo né) e o pai nunca tinha feito uma festa assim para ele, enquanto que este “teu filho” (veja que ele nem sequer falou meu irmão), que gastou seu dinheiro e se prostituiu, o senhor ainda faz uma festa com a volta dele! (Que triste, este irmão mais velho queria vingança…)

Novamente o pai, misericordioso, não julgou nem a um e nem a outro, pelo contrário, amou aos dois e ensinou ao mais velho dizendo: “ohh meu filho, é verdade, por você nunca ter me abandonado, tudo que é meu, também é seu. Você pode fazer quantas festas quiser, mas é preciso que nós dois nos alegremos porque o “seu irmão” (lembrando a ele, que era irmão), estava morto e reviveu.

Que lição! Jesus ensina que não importa o tempo que estamos na casa do Pai, se por alguma razão erramos, claro que colhemos, a própria vida nos faz pagar, mas quando nos voltamos para Deus com sincero coração, arrependidos, Ele nos perdoa e nos restabelece a condição de Filhos, com uma grande festa e em momento algum nos julga ou “passa os nossos erros na cara”, não nos humilha ou nos envergonha, já basta o que o mundo nos fez, para Ele: ACABOU.

Você errou, pecou, falhou? Se arrependa e volte hoje mesmo para a casa do Pai que só Ele te conhece e está te esperando do jeitinho que você está, eu te garanto!!

Foto: Meionorte.com