Tag: bodas

As bodas de ouro representam cinquenta anos de casamento.

Se o vestido tiver muito brilho, aposte em acessórios simples

A noiva deve sentir-se cómoda enquanto transporta o bouquet, dando a sensação de que este acessório faz parte de si e da imagem global.

Na hora de escolher um bouquet para ofertar, para Cerimônias Nupciais ou para decorações, opte sempre pelas que mais goste e pelas que exprimam seus sentimentos e desejos.

POR QUE USAMOS A ALIANÇA DE CASAMENTO NO QUARTO DEDO (O Dedo Anular)?

Os Chineses têm uma explicação muito bonita…

O Vestido de Noiva: É fundamental estar elegante e confortável neste dia!

O BOUQUET: É impossível imaginar um casamento sem um bouquet de noiva. Mesmo nos casamentos não religiosos, podemos ver o bouquet nas mãos nervosas da noiva. Por mais simples que ele seja, sempre haverá um buquê de noiva louco para ser lançado ao ar e disputado por “solteiras desesperadas”. Mas, afinal de contas, como surgiu o costume das noivas carregarem um bouquet de flores e qual o seu significado? Alguns dizem que o costume de carregar um bouquet nas cerimônias de casamento surgiu na época medieval. Naquela época, as noivas, faziam o trajeto até as igrejas a pé. Durante a caminhada, os vizinhos e quem cruzava com o cortejo, costumavam presentear as noivas com flores. Ela ia recolhendo as flores presenteadas e, ao final da cerimônia, atirava-as para os convidados ou os que estivessem na porta da igreja. A superstição da época dizia que aquela que conseguisse apanhar uma das flores e fosse solteira, conseguiria um casamento para breve. Mas, na verdade, o costume do bouquet de noiva surgiu muito mais cedo: na Antiga Roma Imperial. Quando uma cidadã romana ia se casar, era costume carregar um bouquet de ervas aromáticas com o intuito de espantar os maus espíritos e

Ver mais

“Aliança” siginifica compromisso, pacto, união. Na Sagrada Escritura, o relacionamento de Deus com os homens aparece repetidamente em termos de aliança, do latim foedus, também conhecido como bérith em hebraico e diathéke em grego. Acredita-se que uso de alianças no terceiro dedo da mão esquerda no casamento servia para selar o matrimônio e vem da tradição cristã, do século XI, em que acreditava-se que nesse dedo havia uma veia que ia direto ao coração. Assim, simbolizava que ficava selado o amor eterno entre duas vidas.